Pinguins

A fama é mundial. O habitat, porém, é mais restrito. Os célebres pinguins são espécies encontradas apenas no hemisfério sul e constituem a principal população de aves não voadoras do mundo.

Com nadadeiras ao invés de asas, eles trocam o céu pelo mar. É nele que eles passam a maior parte de suas vidas, voltando à terra (ou ao gelo) apenas para acasalar, chocar seus ovos e cuidar dos filhotes.

Além de exímios nadadores, são também excelentes mergulhadores. Algumas espécies superam os 100 metros de profundidade.

E nas profundezas eles costumam “voar” desapercebidos; seu abdomem branco visto de cima, contra a luz, e suas costas negras que se misturam ao fundo do mar funcionam como uma camuflagem, seja para despistar predadores ou surpreender suas presas.

Apesar das longas jornadas no mar (que duram meses), os pinguins são monogâmicos e pais zelosos; tanto o macho quanto a fêmea se revezam nos cuidados dos ovos e filhotes. Procriam em colônias localizadas em locais de clima temperado, tropical ou polar.

Animais de sangue quente, possuem uma grossa camada de gordura e um sistema de bolsa de ar embaixo das penas que lhe garantem impermeabilidade e corpo aquecido.

Todo esse equilíbrio natural, no entanto, pode estar ameaçado. De acordo com um relatório da organização não-governamental WWF (disponível em inglês), um aumento de 2 graus na temperatura da terra pode ter grande impacto na metade da populção dos famosos pinguins Imperadores e em 75% na espécie Adélie.

Mas não é só o aquecimento global que coloca em risco várias espécies; o derramamento de óleo e a pesca comercial se configuram como os maiores predadores dos Pinguins-de-Magalhães.

Saiba mais

[slideshow]

Ficha Técnica

Nome científico: Spheniscus magellanicus

Dieta: peixes: anchova, sardinha, merluza; lula

Predadores: Gaviota, leão-marinho, orca, raposa, puma, furão, tatu.

Altura: 40-45 cm

Peso: 4 a 6 quilos

Onde estão: Argentina, Chile e Ilhas Malvinas

População total: 1 milhão e 300 mil pares.

Maior colônia: Punta Tombo (Argentina). Tem, aproximadamente, 200 mil pares.

Habitat: marinho durante a migração. Os Pinguins-de-Magalhães vivem em águas temperadas. Durante a reprodução, vivem na costa ou em ilhas, em colinas, penhascos, planícies, arbustos, sempre usando a vegetação. Os ninhos, geralmente, ficam abaixo de arbustos ou são tocas cavadas por eles no solo.

Migração: No inverno, os pinguins de magalhães migram à procura de comida até o Norte da Argentina, Uruguai e sul do Brasil. Em 2008, animais dessa espécie chegaram ao Nordeste do Brasil (alguns foram até bem próximos à linha do Equador). Este raro evento, causado pela escassez de comida, resultou na morte de milhares de pinguins.

Entre junho e novembro de 2008, 3.371 pinguns-de-magalhães chegaram à costa brasileira; 68,4% destes chegaram ao nordeste do Brasil. No dia 16 de junho de 2008, alguns animais começaram a aparecer na costa sul do Brasil e, em 30 de julho, na costa Norte do país, alcançando o estado do Ceará. O último registro feito neste ano datou do dia 20 de novembro, período de reprodução e, portanto, época em que deveriam estar nas colônias da Patagônia.

Dos 3.371 pinguins-de-magalhães encontrados no Brasil em 2008:

2016 foram encontrados com vida

1257 estavam mortos

98 morreram logo após o resgate.

3259 eram jovens

112 eram adultos

Veja aqui todas as imagens desta galeria.

TAGS: , , , , , , , , , , ,

0 Comentários



Oba! Seja o primeiro a comentar.

Opa! Comente!

Tsc! Você precisa estar logado para comentar aqui.