Narcotour em La Paz

A sugestão parece unanimidade entre os jovens viajantes que passeiam por La Paz. Tanto que vários albergues e agências de viagens estampam anúncios do tipo “Adquira aqui o seu exemplar!” do livro que popularizou o tour clandestino.

Muitos são atraídos pela curiosidade de experimentar algo inusitado, com “um quê” de perigo, e colecionar uma experiência bem “típica de um país subdesenvolvido”.

Por isso, todos os dias, dezenas de turistas estrangeiros se reúnem na praça, em frente à prisão de San Pedro, e buscam o “agente de turismo”, sentado no banco como quem não quer nada à espera dos interessados no passeio. Ele sugere a compra de guloseimas e cigarros que serão oferecidos aos internos. E adverte que a gorjeta dos guias não está incluída no pacote. Ao todo, os turistas gastam, em média, 50 dólares americanos para conhecer a prisão. Só para se ter uma idéia, num tour de 3 dias pelo Salar de Uyuni, uma das mais belas atrações da Bolívia, gastei U$ 100, incluindo alimentação, hospedagem e o passeio em si.

O agente, na época, cobrava U$ 35 (250 bolivianos) que seriam divididos mais ou menos assim:

  • 70% para ele;
  • 20% para suborno dos guardas;
  • 10% para todos os presos.

Segundo meu guia, San Pedro abriga 1600 prisioneiros, que devem pagar entre 100 e 300 bolivianos mensais por uma cela. Quem não pode pagar, trabalha na cozinha ou limpando a prisão.

Lá dentro, os presos circulam livremente, jogam bilhar, futebol, trabalham no próprio comércio na tentativa de incrementar a renda. Talvez porque venho de um país várias vezes condenado pela Comissão Interamericana de Direitos Humanos por desrespeito à integridade de detentos; mais do que a realidade da prisão boliviana, o que me surpreendeu foi a presença de mulheres e crianças vivendo ali com os “chefes de família”, como se cumprissem pena. A diferença é que tanto as esposas quanto os filhos dos detentos podem sair do presídio e freqüentar a escola e a vida lá fora.

Assim que avistam os estrangeiros, os presos se aproximam e as crianças atacam vorazmente! Elas querem balas! E os presos, cigarros! Repito o que um colega uma vez me disse: é como num zoológico. Os turistas levam agradinhos que funcionam como iscas para ver mais de perto aqueles seres humanos tratados como animais exóticos.

Mas a atração principal ainda estaria por vir. Depois de caminhar por uma das 8 seções do presídio, os turistas são levados a um quartinho. Devidamente acomodados, são convidados a pagar gorjeta “voluntária” aos guias (ninguém dá menos de 50 bolivianos). Passado o chapéu, os guias, agora, passam pequenas mostras de cocaína e cigarros de maconha. Assim como o artesanato oferecido durante o passeio, a droga é confeccionada pelos próprios detentos (60% dos presos estão envolvidos com o tráfico, segundo o guia). Mas, ao contrário do artesanato, cocaína e maconha são facilmente vendidas aos interessados.

Somente a idéia do narcotour à prisão de San Pedro não me despertava o menor interesse, mas, sim, me causava repulsa. Resolvi conhecer para tentar compreender a lógica do passeio clandestino e atestar o que já defendia. Pior do que me sentir explorada e desrespeitada, foi me perceber, também, na condição de exploradora. E lamento que muitos estrangeiros cheguem à Bolívia para alimentar esse ciclo de exploração, corrupção e tráfico de drogas. Mesmo que inconscientemente, fomos e somos, todos, coniventes.

Confira aqui todas as imagens do tour clandestino.

San Pedro em números:

  • 1600 presos, junto às famílias
  • 60% dos presos envolvidos com o tráfico de drogas
  • 100 a 300 bolivianos é o preço mensal de uma cela
  • 10 a 15 pessoas morrem por ano na prisão. Razões: suicídio, assassinatos de gangues e brigas
TAGS: , , , , , , , , , , , ,

4 Comentários

  1. Priscilla disse:

    Puxa Dani,

    Linda sua iniciativa está de parabéns mesmo menina!! Fiquei de cara com esse tal Narcotur, deveriam ser denunciadas práticas desse tipo. Assim como no Brasil há o combate ao chamado “turismo sexual”, o governo boliviano deveria tratar o caso com status de política pública…será que é assim?!!

    Super beijo!

  2. Andrei disse:

    Que viagem… nunca tinha ouvido falar desse tour. O que mais me chamou a atenção foi o seu relato do sistema prisional boliviano, surreal. Vou buscar mais informações sobre o assunto.

  1. Nice San Pedro photos » Images from North America
  2. San Pedro » Images from Africa

Opa! Comente!

Tsc! Você precisa estar logado para comentar aqui.